Gráficos sindicalizados crescem 400% na RR após STIG garantir PPR


Desde 2017, STIG-SP tem fechado acordo com RR Etiquetas de Itaquera, onde tem garantindo um salarial adicional para todos os gráficos do local


Em três anos, após o sindicato conseguir implementar e manter um bônus financeiro anual para todos gráficos da unidade paulista da RR Etiquetas, em Itaquera, na capital do estado, a adesão dos profissionais ao órgão da categoria cresceu muito. O número dos gráficos associados ao STIG-SP se ampliou em 400%. Dos atuais 103 trabalhadores do local, todos agora são sócios. E a razão dessa unidade foi proporcional ao reconhecimento da atuação sindical em favor deles. Os gráficos passaram a receber um salário extra anual desde 2017, quando o STIG garantiu com a empresa o Programa de Participação nos Resultados (PPR) dentro desta unidade.

"Este PPR reconhece a importância de cada trabalhador na sua produção diária. Pelo negociado com a gráfica, cada um recebe um salário nominal a mais quando atingem as metas definidas para o ano. E ganha também um plus de 1,85% sobre este salário. A meta financeira da RR para este ano é faturar certa de R$ 43 milhões. Nos anos anteriores, todas as metas foram atingidas. E foi repartido parte do lucro com os gráficos com a PPR", informa o atual secretário-geral do STIG-SP, Alexandre Reis (Alemão).

Alemão, que está no sindicato desde 2008, atuando antes como o diretor de base justamente nesta localização a RR Etiquetas, foi um negociador direto na conquista do PPR, juntamente com o vice-presidente do STIG, Sebastião Viana. A ação sistemática na porta da gráfica por ambos, cada vez mais se aproximando do trabalhador, foi indispensável para melhoria do direito dos empregados, bem como na ampliação da unidade de todos junto ao sindicato. "Em 2017, eram só 23 gráficos sócios, hoje somos 103, mas chegamos a 117, antes dos desligamentos de 14 companheiros", diz.

O Sindicato também garantiu uma proteção para os trabalhadores da RR em caso das metas não serem atingidas. Se isso acontecer, nenhum dos gráficos ficam no prejuízo. Todos ganharão o maior valor da Participação nos Lucros e Resultados, definida pela Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. "É uma garantia importante, mesmo o nosso objetivo sendo a de que todos batam a meta e recebam o PPR, como nos últimos anos", ressaltou Alemão ao lado da presidente do STIG-SP, Elisângela Oliveira.

"Sempre defendemos a atuação sindical junto à base, de modo sistêmico e próximo, pois, assim, acreditamos numa resposta dos gráficos junto ao sindicato. Basta perceber a entidade em sua defesa através de ações em favor da melhoria de sua vida e das condições de trabalho", fala Leonardo Del Roy, presidente da Federação Paulista dos gráficos (Ftigesp). É isto que o STIG-SP fez na RR nos últimos anos, e, consequentemente, todos os gráficos de lá fizeram também, formando uma aliança forte da classe.

written by FTIGESP